A Magia da Gratidão – Por Nagib Anderáos Neto

O ser humano esquece com facilidade os momentos felizes que vai experimentando no decorrer da vida. Isto se deve a uma falta de consequência consciente; a certa ausência mental e sensível diante da vida.

A simples recordação dos momentos de grande alegria vividos poderia trazer de volta os instantes nos quais se experimentou uma verdadeira felicidade. E esta recordação poderia ser como um escudo protetor diante de momentos triste ou amargos que porventura se tenha de viver.

Para que esta revivescência seja efetiva, é necessário criar um sentimento que anda ausente do coração humano: o sentimento de gratidão.

A gratidão consciente é uma vivência interior na qual, ao recordar quem nos fez um bem, rendemos-lhe uma homenagem silenciosa e experimentamos uma proximidade muito grande em relação ao nosso benfeitor, mesmo que ele não esteja mais vivendo entre nós. É um sentimento de imponderável valor, pois credencia o indivíduo para novas experiências felizes no futuro. Ao cultivá-lo, o ser humano sente surgir dento de si o impulso por transmitir o bem recebido a outras pessoas que mereçam esta ajuda. Desta forma, ao se colocar como um elo na corrente de bem que deve levar a felicidade e o conhecimento para os demais, o indivíduo cumpre com a verdadeira caridade.

Mais do que ensinar a pescar, é necessário verificar se o aprendiz levará adiante o bem que recebeu, ao invés de fazer com que morra, egoistamente, nos estreitos limites de sua vida pessoal.

Ao manter no presente aquilo que vivemos no passado e nos foi grato, experimentamos uma sensação de existir consciente que as palavras não têm possibilidade de traduzir. Esquecê-lo é sinal de ingratidão para com a vida e para com aqueles que a tornaram alegre e feliz.

A lição da gratidão nos habilita a ser credores de outros momentos felizes no futuro.

A ingratidão, por outro lado, é um dos grandes males, uma das grandes doenças das quais os seres humanos de hoje padecem; seus frutos são a depressão e o vazio. Esquece-se, com muita facilidade, das coisas boas que vão acontecendo no decorrer da vida: pequenos sucessos, pequenas alegrias, emoções que colorem o dia-a-dia tantas vezes pálido da existência humana. A simples recordação destes momentos, qual condão mágico, poderia hoje transformar um momento de tristeza num instante de alegria.

A gratidão, este sentir agradecido pelo bem que já se viveu, esta recordação sensível de um passado que não deve morrer nunca, é um sentimento mágico que cada ser humano tem o poder e o dever de cultivar em seu coração.

Fonte: www.nagibanderaos.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *